Multiverso

A Realidade Imita a Ficção?

A realidade imita a ficção? Estamos acostumados a ouvir que “a ficção imita a realidade”, e não ao contrário. Entretanto, nos últimos tempos cenas de filmes têm se tornado realidade.  Em tempos de pandemia, nunca antes a realidade de algumas obras ficcionais se fez tão presente. Mas, por que o nosso isolamento nos aproxima tanto da ficção e, necessariamente, da literatura? 

A literatura não tem a pretensão de imitar a vida, mas ela pode fazer uso de certas características sociais de modo a metaforiza-las em contos ou em romances. É o caso de alguns romances como O ensaio sobre a cegueira de José Saramago, A peste de Albert Camus, A dança da morte de Stephen King e o conto juvenil O gigante invisível de Bram Stoker.

A ficção conversa com a realidade

O romance do escritor português José Saramago, publicado em 1995, conta a história de uma epidemia que se espalhou por uma cidade causando a doença da cegueira branca. Pessoas foram confinadas ao isolamento e a cidade transformou-se em um caos, fazendo com que vivessem de maneira incomum.

A teoria do Multiverso
A realidade imita a ficção?

Em A peste, do escritor existencialista franco-argelino Albert Camus, a história se passa na década de 1940 numa pequena cidade da Argélia, a qual é atingida por uma terrível epidemia, rompendo com a monotonia e dizimando toda a população.

No romance do escritor norte-americano Stephen King, publicado em 1978, algo parecido acomete a cidade de Atlanta nos Estados Unidos, mas dessa vez é um vírus contagioso, muito similar aos sintomas de uma gripe, que assola a população. Esse vírus se espalha rapidamente e atinge não apenas aquela cidade norte-americana, mas todo o planeta.

Já no conto de Bram Stoker, de 1881, é um gigante que aterroriza o País sob o Por do Sol. Esse gigante, invisível aos olhos da população, mas visível a uma pequena garota, é nada menos que uma praga sombria que se espalhou lentamente sob o Reino, acometendo doenças e levando muitas pessoas à morte.

Marvel e o reino multiverso

O filme Doutor Estranho no Multiverso da Loucura estreou no Brasil na madrugada de quinta-feira e já arrecadou mais de US$ 120 milhões. Este filme é uma continuação do universo Marvel e aborda a teoria do multiverso e suas implicações. 

Homem Aranha
Universo Marvel: a realidade imitia a ficção?

O conceito de Multiverso tem sido bastante explorado nos quadrinhos, especialmente por empresas como a Marvel e a DC. Ele é uma maneira de reenquadrar personagens e cenários, logo, o autor consegue misturar e criar hipóteses em diversos contextos, e , embora isso seja muito engraçado, pode causar um “bug” na cabeça das pessoas. Será que a realidade imita a ficção?

De acordo com os quadrinhos, o mundo pode ter várias possibilidades  temporais, que podem ser a razão pela geração de realidades paralelas em determinado universo. De forma semelhante, um universo pode ter vários mundos alternativos, a partir da combinação das linhas temporais e/ou realidades paralelas. E o Multiverso seria a reunião desses vários universos.

É uma coleção de universos alternativos que compartilham uma hierarquia universal.

Kevin Feige

Nos filmes vemos vários mundos e por meio das viagens temporais alguns personagens encontram outros ou encontram a si numa época distinta. Portanto, você poderia se encontrar consigo mesmo num tempo e espaço diferente e mudar o “passado”.

O Multiverso Marvel aborda infinitos cenários e realidades, nas quais sempre há um personagem principal que será como epicentro das histórias. Tais mudanças temporais são destacadas no filme mostrando ao público os benefícios e os problemas gerados em alterar o tempo no universo.

Stephen Hawking: a teoria do multiverso

Será que a realidade imita a ficção? O astrofísico Stephen Hawking é o responsável pela elaboração da teoria do universo. O astrofísico deixou diversas hipóteses sugerindo que este Universo, ao qual se localiza a Terra, seria apenas mais um entre tantos.

Hawking entendia que esses Universos estariam conectados, e sustentava esse conceito a partir da teoria do Big Bounce. Essa teoria seria a premissa do Big Bang, como um grande rebote de um novo Universo que criaria outros tantos.

Filmes da Marvel
A teoria do multiverso: a ficção imita a realidade?

Apesar de não haver evidências concretas desse pressuposto, Stephen alegava que haveria essa possibilidade. Ao lado de Thomas Hertog, ele verificava evidências no espaço que deixariam clara a existência de outros Universos.

Stephen Hawking morreu no ano de 2018. Todavia, deixou um legado para que Hertog permanecesse estudando e avançasse nas  pesquisas acerca do Multiverso. Atualmente, o cientista, parceiro de Hawking, investiga temas mais profundos sobre o Universo por incentivo de uma Universidade belga.

A teoria do Multiverso explicita que haverá infinitos de universos, talvez  com leis e constantes físicas diferentes das nossas. Mas, haverá também parecidos ao nosso. Alguns seriam tão semelhantes que seriam praticamente iguais. Logo, haveria infinitas versões de você lendo um livro, trabalhando, assistindo a um filme, isto é,  cada uma em seu contexto isolado num determinado universo.

O multiverso é a última fronteira da fantástica aventura da ciência na investigação das maiores escalas do cosmos, tentando desvendar os grandes mistérios da teoria da relatividade. 

O que as obras literárias ou cinematrográficas querem nos dizer?

As obras citadas, tanto em livros quanto em filmes, não tem o objetivo de assustar a população com enredos ligados à doença ou a universos paralelos, mas analisar o comportamento humano mediante tais situações de estresse ou caos. 

Filmes de ficção
Obras fictícias: a realidade imita a ficção?

O cinema e os livros querem apresentar algumas verdades intrínsecas da sociedade, as quais estão presentes em diversas épocas e espaços. No entanto, somente é possível enxergá-las no desconforto. A partir do momento em que o caos se familiarizou foi possível enxergar a natureza humana além das aparências civilizadas. 

A literatura nos aproxima da realidade ou de nós mesmos? 

Essas histórias nos estimulam a refletir sobre o nosso próprio condicionamento humano quando somos abalados por tais eventualidades. Voltamos à pergunta inicial: a realidade imita a ficção? 

A ficção demonstra eventos que poderiam ocorrer e nos ajudam a compreender nossa reação diante deles. Nessas histórias verificamos sentimentos de egoísmo, vaidade, orgulho, omissão, mas também vemos pessoas dotadas de generosidade, empatia, esperança e amor. Assim como muitos de nós, o protagonista deseja que o mundo seja um lugar agradável e feliz para vivermos, e acredita que a solidariedade e o trabalho em equipe sejam as chaves para esta realização. 

Gostou desse conteúdo? Quer aprender mais sobre livros e filmes? Embarque na plataforma Busca Prof. Brasil e conheça nosso universo de informações!

Busca Prof. Brasil
Busca Prof. Brasil

Somos uma empresa de educação que promove experiências inspiradoras para auxiliar os estudantes no aprendizado e aplicação do conteúdo. Nosso compromisso é a formação integral de crianças e adolescentes.

Referências

MEDEIROS, A. Corrida ao multiverso da Marvel. Tribuna do Norte. Disponível em: http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/corrida-ao-multiverso-da-marvel/537945. Acesso em: 18 mai. 2022.

BUNDE, M. Multiverso: a teoria do multiverso foi proposta por Stephen Hawking. Todoestudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/fisica/multiverso. Acesso em: 18 mai. 2022.

NOGUEIRA, S. Entenda de uma vez: o que é o multiverso?. Superinteressante. Disponível em: https://super.abril.com.br/ciencia/entenda-de-uma-vez-o-que-e-multiverso/. Acesso em: 18 mai.2022.

YUGE, C. Linhas temporais? Realidades pararelas? Entenda o multiverso Marvel. Canaltech. Disponível em: https://canaltech.com.br/entretenimento/linhas-temporais-realidades-paralelas-entenda-o-multiverso-marvel-188073/. Acesso em: 18 mai.2022.